Cinco poemas de ‘A máquina de carregar nadas’ – Mallarmargens – 26.10.2017

(Fonte: http://www.mallarmargens.com/2017/10/cinco-poemas-de-maquina-de-carregar.html )

 

MANHÃ

a –
Notícias da manhã
informam que o tempo, de
——————————- fato, passou,
e que a noite foi só uma
de fato.

b –
O dorso arrebentado do sol,
surge o dia.

c –
A manhã ruge
nos dentes das árvores.

*

NA ESTREITA BAÍA DO CORPO

a –
Onda: eterna insuficiência,
fadada a sempre cortejar o nunca
sobre uma terra que se lhe foge
perto e inalcançável.

*

O QUE SOBRA DO HOMEM

Caminha e se deita e dorme
todas as noites
a pensar no que poderia ter sido
e se perdeu nas dobras do tempo e
em rumorejos de água cristalina.

*

NESTE TEMPO

Neste tempo de horror
neste tempo
neste tempo sem tempo
de mãos crispadas e inverno nos dentes
de risos que não são
– só o amor que há é o dos bichos
e o das memórias frescas,
recém-cortadas.

*

UMA ARQUITETURA DA CONCHA
“Para aquele que deu a concha”

1.
Que esta concha entre os dedos recolha
e decante em silêncios a voz
agitada em trovões – mar o crânio –,
que a decante e que a anule depois.

2.
Que recolha entre os vórtices secos
todo o eco dos mares confusos,
que o recolha e decante em silêncios
e apascente o traçado dos fusos.

3.
Que esta concha entre os dedos anule
o que dentro de alguém é loucura.
Que ela guarde, meu Deus, da loucura,
que é o que acha quem muito procura.

4.
Que estas conchas recolham do fundo
já sem fundo das curvas do mar
o olhar tão cansado do homem

– e o devolvam depois, pra guiar.

 

Matheus Guménin Barreto (1992) nasceu em Cuiabá, Mato Grosso. Formou-se em Letras Português-Alemão na Universidade de São Paulo (USP), onde agora é mestrando da área de Língua e Literatura Alemãs na subárea de tradução. Suas traduções de Ingeborg Bachmann foram publicadas em Dito ao anoitecer (2017) e na antologia Lira argenta (2017), e suas traduções de Bertolt Brecht no livro Cântico de Orge (2017) – parceria entre Selo Demônio Negro, Editora Hedra e a editora portuguesa Douda Correria. Publicou em 2017 seu livro de poemas A máquina de carregar nadas pela Editora 7Letras.

Poemas publicados e inéditos, resenhas e links para compra do livro A máquina de carregar nadas: https://matheusgumenin.com/

E-mail para contato: matheusgumenin@hotmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s