Cinco poemas de ‘A máquina de carregar nadas’ – Mallarmargens – 26.10.2017

(Fonte: http://www.mallarmargens.com/2017/10/cinco-poemas-de-maquina-de-carregar.html )

 

MANHÃ

a –
Notícias da manhã
informam que o tempo, de
——————————- fato, passou,
e que a noite foi só uma
de fato.

b –
O dorso arrebentado do sol,
surge o dia.

c –
A manhã ruge
nos dentes das árvores.

*

NA ESTREITA BAÍA DO CORPO

a –
Onda: eterna insuficiência,
fadada a sempre cortejar o nunca
sobre uma terra que se lhe foge
perto e inalcançável.

*

O QUE SOBRA DO HOMEM

Caminha e se deita e dorme
todas as noites
a pensar no que poderia ter sido
e se perdeu nas dobras do tempo e
em rumorejos de água cristalina.

*

NESTE TEMPO

Neste tempo de horror
neste tempo
neste tempo sem tempo
de mãos crispadas e inverno nos dentes
de risos que não são
– só o amor que há é o dos bichos
e o das memórias frescas,
recém-cortadas.

*

UMA ARQUITETURA DA CONCHA
“Para aquele que deu a concha”

1.
Que esta concha entre os dedos recolha
e decante em silêncios a voz
agitada em trovões – mar o crânio –,
que a decante e que a anule depois.

2.
Que recolha entre os vórtices secos
todo o eco dos mares confusos,
que o recolha e decante em silêncios
e apascente o traçado dos fusos.

3.
Que esta concha entre os dedos anule
o que dentro de alguém é loucura.
Que ela guarde, meu Deus, da loucura,
que é o que acha quem muito procura.

4.
Que estas conchas recolham do fundo
já sem fundo das curvas do mar
o olhar tão cansado do homem

– e o devolvam depois, pra guiar.

 

Matheus Guménin Barreto (1992) nasceu em Cuiabá, Mato Grosso. Formou-se em Letras Português-Alemão na Universidade de São Paulo (USP), onde agora é mestrando da área de Língua e Literatura Alemãs na subárea de tradução. Suas traduções de Ingeborg Bachmann foram publicadas em Dito ao anoitecer (2017) e na antologia Lira argenta (2017), e suas traduções de Bertolt Brecht no livro Cântico de Orge (2017) – parceria entre Selo Demônio Negro, Editora Hedra e a editora portuguesa Douda Correria. Publicou em 2017 seu livro de poemas A máquina de carregar nadas pela Editora 7Letras.

Poemas publicados e inéditos, resenhas e links para compra do livro A máquina de carregar nadas: https://matheusgumenin.com/

E-mail para contato: matheusgumenin@hotmail.com

Anúncios

Revista Lavoura – 10.2017

Poema inédito disponível na Revista Lavoura, página 18.

Link: https://www.yumpu.com/pt/document/view/59473745/revista-lavoura-n2

Os outros colaboradores são: Ana Rüsche, Tarso de Melo, Bruno Molinero, Danilo Brandão, Laura Torres, Maiara Líbano, Daniele Queiroz, Edson Amaro De Souza, Elisa Andrade Buzzo, Jeanne Callegari, Nicolas Casal, Paulo Ferraz, Susana Pereira, Teofilo Tostes Daniel, Fernando Ide Kuratomi, Christiano Whitaker, Heitor Rodriguês, Priscilla Menezes, Tatiana Timm, Sérgio Tavares, Joëlle-Marie Declercq e o ex-prefeito Fernando Haddad.

Editores: André Balbo, Anna Brandão, Arthur Lungov e Lucas Verzola