Um poema de Matheus Guménin Barreto – Poesia pros ouvidos – 13.9.2021

(Fonte: https://anchor.fm/poesiaprosouvidos/episodes/Matheus-Gumnin-Barreto—o-mapa-do-corpo-sob-as-mos-e179sfa )

Curadoria de Michaela von Schmaedel

Leitura de “o mapa do corpo sob as mãos” (do livro Mesmo que seja noite [Editora Corsário-Satã, 2020])

 

*

 

o mapa do corpo sob as mãos

desenhando itinerários bruscos

mornos

contornando bocas que não existem, mas que existirão

pés que não andaram, mas andarão

sexos que não se apontaram

mas que se apontam, agudos, sob o toque

devagar

como o encontro

de um trópico último com um último meridiano

 

os olhos nublados de algo que não se adivinha

 

o homem tem o homem nas mãos

e as mãos seguem seu cego itinerário provisório

apagado sempre pelo toque próximo e sombra e esquecimento –

apagado como a praia e o vento que a inaugura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s